AREANATejo implementa medidas de eficiência energética nas Escolas do Alto Alentejo

A AREANATejo mantém a aposta na eficiência energética dos Municípios do Alto Alentejo, e nesta ótica, integrou o Projeto EduFootprint, financiado pelo Programa INTERREG MED em 85% e que tem com objetivo prioritário a melhoria da gestão energética e da redução da pegada ecológica em Escolas Públicas pertencentes à região do Mediterrâneo.

As atividades a desenvolver no âmbito deste projeto assentam essencialmente no teste e na transferibilidade de estratégias integradas de energia nas Escolas, as quais consistem na elaboração e implementação de medidas de melhoria da eficiência energética integradas nos Planos de Ação para a Energia Sustentável (PAES).

De entre as ações a desenvolver no âmbito do Projeto EduFootprint, destacam-se o envolvimento das autoridades públicas em ações de melhoria da eficiência energética nas Escolas (atividades de teste e transferência), a dinamização de campanhas de formação, a informação e sensibilização no âmbito desta temática e a implementação de ações/medidas constantes no PAES Alto Alentejo, nomeadamente no que diz respeito às metas estabelecidas para os edifícios escolares (e.g. melhoria dos sistemas de iluminação, melhoria dos sistemas de climatização e instalação de equipamentos de controlo e monitorização de energia).

Foram dez os Municípios do Alto Alentejo que integraram o projeto EduFootprint, sendo eles: Alter do Chão, Avis, Arronches, Castelo de Vide, Crato, Elvas, Marvão, Monforte, Ponte de Sor e Sousel indicando cada um deles uma instituição de ensino a envolver.

Em relação às medidas de melhoria de eficiência energética das Escolas, estas focaram-se em 3 campos distintos: a melhoria dos sistemas de iluminação com a instalação de 1.000 luminárias LED, a melhoria dos sistemas de climatização que contemplou a instalação de 6 caldeiras a biomassa e por fim a instalação de 2 sistemas de controlo e monotorização de energia nos quadros elétricos dos edifícios escolares.

Com um investimento total de aproximadamente 33.000 euros, a implementação destas medidas permitirá uma poupança anual na ordem dos 6.000 €, apresentando um período de retorno de 5,5 anos, tendo em conta o cofinanciamento de 85% por parte do Programa INTERREG MED, este período é reduzido para cerca de 10 meses.

Este Projeto tem a duração de 30 meses, sendo que se encontra em curso desde novembro de 2016 e terá o seu término em abril de 2019.